Marketing De Relacionamento Na Advocacia

Como usar o Marketing de Relacionamento na Advocacia

Você fez todo o trabalho de captação de clientes e atendeu com qualidade. Se o seu cliente sai satisfeito, porém, você nunca mais terá contato com ele, cuidado. Você está deixando de fazer bons negócios. A fidelização de clientes é essencial. Saiba como usar o marketing de relacionamento na advocacia.

Antes de começar a fazer o marketing de relacionamento em si, observe como está a qualidade dos seus serviços. Considere não apenas a competência com os trâmites jurídicos. Mas principalmente o trato com os clientes.

Será que eles estão satisfeitos? Você os mantêm informados sobre as etapas dos processos nos quais estão envolvidos? Hoje em dia, a maioria das pessoas quer saber, ainda que seja de forma leiga, como o serviço que elas contrataram se desenrola.

Por isso, mantenha contato constante com o seu cliente durante todo o decorrer do processo. Isso tende a aumentar a confiança que ele tem em seu trabalho.

O segundo passo é construir a estratégia de marketing de relacionamento. Tenha um banco de dados atualizado com todos os contatos dos seus clientes e dados importantes de cada um deles. Você pode coletar informações como data de aniversário, endereço, profissão e até interesses gerais.

De todos os clientes, você pode ainda destacar os que são considerados “especiais” de acordo com o perfil. Ou seja, aqueles com os quais você tem mais interesse de expandir os negócios.

Em seguida, defina os canais de comunicação que pretende utilizar para o seu marketing de relacionamento na advocacia. Algumas opções: correspondência tradicional, e-mail, telefone celular e visita pessoal.

O próximo passo é estipular um calendário com as datas estratégicas para fazer os contatos. Por exemplo, você pode enviar um e-mail de felicitações no aniversário do cliente ou dar um telefonema a cada 4 ou 5 meses para saber se ele precisa de alguma ajuda.

No caso do envio de correspondências ou e-mails, você pode delegar essa tarefa para alguém da sua equipe. Que tal já incluir isso na rotina do seu escritório?

O conteúdo dos e-mails e das correspondências pode abranger curiosidades, novidades sobre o mercado e informações úteis. O importante é que, de alguma forma, você personalize as mensagens. Um texto muito genérico não surtirá efeitos. Seu cliente precisa saber que é especial para você.

Além disso, você pode programar visitas aos clientes. Ir pessoalmente conversar com o cliente é bastante eficaz. Isso aproxima e aumenta as chances de fechamento de negócios. Em uma conversa informal, você pode demonstrar apoio ao cliente e fica mais fácil de ser indicado para amigos e parentes dele.

Mas o marketing de relacionamento na advocacia não se resume apenas a essas ações. Manter uma presença digital forte é a outra parte dessa estratégia. Não entregue seu cartão de visitas contendo apenas endereço e telefone. Vai ser mais difícil de se conectar com você.

Tenha um blog atualizado, com artigos pertinentes ao seu mercado de atuação e linguagem objetiva. É claro, coloque o endereço do blog em seu cartão de visitas. Ao visitar a sua página, seu futuro cliente já saberá quais serviços você oferece e conhecerá mais o seu perfil e histórico profissional.

A presença nas redes sociais, como no Facebook, por exemplo, completa essa estratégia. Assim, você trabalha com todas essas ações de forma convergente. O cliente pode encontrar você pelo cartão de visitas, que leva ao blog e tem link para o Facebook.

O caminho contrário também poderá ser feito: ele entra primeiro pelo Facebook, descobre seu site, se cadastra em seu banco de dados e passa a receber e-mails. O crucial é que todos esses canais estejam interligados.

Falando em redes sociais, cuide para sempre postar conteúdo relevante. Saiba que este não é o lugar para fazer propaganda da sua empresa e sim para fornecer informações úteis para o seu público.

Quer se aprofundar nesse tema e saber como gerar conteúdo de valor nas suas redes sociais? Leia o artigo “Como usar o Facebook para promover o seu escritório de advocacia?

Gostou dessas dicas? Fale conosco se tiver duvidas! Continue acompanhando o blog, pois em breve postarei mais sobre o assunto. Até lá!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *