9 Lições De Empreendedorismo Com Marta Giove - Saiba O Que Eu Fiz Para Me Tornar Uma Empreendedora

9 lições de empreendedorismo com Marta Giove – saiba o que eu fiz para me tornar uma empreendedora

ÍNDICE

Com essas lições de empreendedorismo, saiba como eu, Marta Giove, me tornei uma empreendedora e venho vencendo meus desafios todos os dias!

Hoje, no Dia Mundial do Empreendedorismo Feminino, eu decidi trazer a você algumas lições de empreendedorismo com a minha história! Muita gente se pergunta sobre como eu comecei a minha agência, o que eu fiz para dar certo e como me tornei uma empreendedora sem perder todos os fios de cabelo ou surtar – risos.

Claro que tem dias em que eu dou uma surtada de leve, mas faz parte, né?!

Quero dizer que não, não foi fácil. Eu fiz sacrifícios, eu lutei, eu sofri e tive que aprender que a vida não é um mar de rosas, aliás, é matando um leão todos os dias! O mundo dos negócios é uma selva, onde cada um caça com as armas que tem, na esperança de conseguir algum resultado que permita que haja um amanhã.

Essa história começa cedo, quando eu tinha apenas 8 anos de idade. Nessa época, eu comecei a trabalhar com meu pai como marreteira, além de ajudá-lo a cuidar da sua banca de calçados. Com 10, eu já cuidava da banca sozinha.

Baita responsabilidade, hein?! Por aí você já vê que quando alguém tem um objetivo, não importa a idade, vai lá e faz!

Agora é que são elas: começa a minha busca por profissionalização e a batalha pelo primeiro emprego de carteira assinada!

Aos 11, eu comecei a procurar cursos para que pudesse me profissionalizar. Eu encontrei um curso do Senac, que ajudava pessoas a conseguirem seu primeiro emprego. Aos 13, eu entrei nesse curso e fiquei lá por 6 meses, quando me formei. Ao final do curso, existia a chance de 4 pessoas conseguirem um estágio.

Acontece que… Eram 30 pessoas na sala.

Eu podia ter pensado “é muita gente, eu não vou conseguir”, mas eu acreditei até o fim.

E eu consegui! Fui escolhida para trabalhar na Arby’s (que não está mais no Brasil), mesmo morando longe do local de trabalho e pegando várias conduções, o meu esforço deu resultado e eu recebi a chance que eu precisava.

E a primeira das lições de empreendedorismo que tiro dessa parte toda é: foco, persistência e uma mentalidade inabalável fazem você chegar lá!

inabalável

É aquela coisa, né?! Muitas vezes, nós só precisamos de uma chance para nos mostrarmos realmente bons naquilo que fazemos – ou que queremos fazer – mas quando essa chance aparece, é preciso agarrá-la com todas as forças e não soltar mais.

Eu podia ter pensado “poxa, o local de trabalho é longe demais” ou “pegar várias conduções é cansativo demais”. Mas eu enxerguei a oportunidade e o desafio como algo que me motivaria a ir mais longe, mesmo eu chegando em casa todos os dias 00:30h, tendo que levantar 4:30h da manhã para chegar no trabalho às 7:00h da manhã.

Cansativo? Era muito, pensar em desistir? Várias vezes! Porém, eu tinha foco e objetivos. E também, meu pai não podia nem comprar minhas calcinhas! Ou seja, eu tinha que me virar…

Segunda lição de empreendedorismo: mesmo com dor, se você tem um objetivo, siga em frente, que um dia você chega lá!

E foi isso mesmo que aconteceu. Eu não fiquei mais de um ano nessa empresa de fast-food, simplesmente não queria ficar no mesmo patamar de sempre a vida toda. Por isso, eu busquei novos horizontes, fui atrás da concorrência, disposta a mostrar o meu valor – e eu falei com todas as pessoas que eu precisava para isso.

Consegui! E nessa empresa concorrente, eu me tornei gerente de delivery algum tempo depois.

Terceira lição de empreendedorismo: empreendedor nunca está satisfeito com a posição que se encontra – ele sempre irá querer mais!

Mas, sempre chega uma hora na vida que dizemos “CHEGA”. Eu saí de lá, afinal, trabalhar de segunda a segunda é uma rotina cansativa – mesmo para quem tem uma motivação inabalável.

Eu tive muito contato com pessoas de todos os tipos, e isso se mostrou como uma oportunidade para a minha saída não terminar no sufoco – pelo contrário, consegui um emprego em uma empresa de ar condicionado.

Lá eu era uma secretária, mas eu gostava mesmo era da área de vendas – aquilo despertava muito interesse dentro de mim. E foi aí que eu comecei a me adentrar, de pouquinho em pouquinho, na área comercial do negócio.

Você pensa: poxa, essa é a história de origem da Marta Giove como uma vendedora de sucesso aos 17 anos! Não, na verdade, eu tive um revés ali – eles me consideravam jovem demais para a área de vendas e me mandaram embora. Sim, simples assim.

Quarta lição de empreendedorismo: mesmo ninguém acreditando no seu potencial, você bate a poeira e segue em frente no seu sonho!

Está no meu sangue nunca desistir fácil, e eu não parei ali.

Eu podia, sim, ter pensado que isso era um sinal para eu esquecer essa história de ser vendedora, mas essa ideia não passou pela minha cabeça. Eu ia lutar para conseguir o que eu queria, fosse numa empresa de ar condicionado ou em qualquer outro lugar.

Eu saí dali e voltei a ser secretária por 6 meses em uma outra empresa, quando surgiu uma oportunidade dentro dessa mesma empresa que eu trabalhava, agora na área da cobrança. O homem que até então era meu chefe chegou a dizer, com espanto: “Nossa, Marta, você deixou de ser minha secretária para ficar na área da cobrança?!”

Quinta lição de empreendedorismo: nunca estar na zona de conforto; Zona de conforto é lugar para uma reposição de energias momentânea.

É que eu gostava muito do desafio e de lidar com pessoas constantemente. É claro que ainda não era o que eu queria, afinal, eu não estava vendendo de fato.

Mas, isso logo mudaria. Quando eu saí dessa empresa, tive a oportunidade de começar a vender boletins eletrônicos para contadores, e logo na minha primeira chance, fechei uma venda.

Foi uma realização e tanto, eu, ainda inexperiente na área, com meu próprio script, conseguindo minha primeira venda. Foi ali que eu me descobri como uma vendedora, vi que eu realmente era apaixonada por aquilo e que esse desafio de fechar uma venda era o que eu queria para mim.

Sexta lição de empreendedorismo: quando você ama o que faz, trabalho se torna uma grande diversão, e eu sempre amei trabalhar!

Fiquei lá por um bom tempo, e quando eu resolvi sair, foi para começar a minha própria empresa de representação comercial, junto com meu sócio Alex de Paula, que esteve todos esses anos ao meu lado. Nos especializamos, buscamos cursos e eu busquei ser uma grande empresária, para que eu pudesse unir a minha paixão à técnica.

E deu certo. Quando tivemos a oportunidade de vender sites para contadores, o Grupo DPG nasceu!

O que eu espero que você aprenda com essa história? As condições e o ambiente são muito importantes, sim, para que você consiga alcançar o sucesso. Eu entendo que nem sempre é uma questão de talento, que não é só aprender, trata-se também de ter as oportunidades certas.

Mas sabe o que eu aprendi em todos esses anos? Portas fechadas podem ser transformadas em janelas… Às vezes, você encontrará uma adversidade tão grande, tão difícil de vencer, que pode parecer uma derrota, um obstáculo a mais… Mas, se você tiver a habilidade de parar, respirar e olhar essa adversidade de todos os ângulos possíveis, tenho certeza de que aprenderá algo com isso e que essa derrota aparente pode se converter em uma importante lição e até mesmo em uma pequena vitória.

Sétima lição de empreendedorismo: tire a sua bunda da cadeira, vai lá e faça as coisas acontecerem!

Não se trata do quanto você faz, de quando você faz ou do que você faz. Vencer não é algo que precisa acontecer aos 17 anos de idade. Não existe uma fórmula mágica para alcançar o sucesso e mesmo o que você tem como definição de sucesso não tem o mesmo significado para quem está ao seu lado, seja no trânsito, no transporte público, na sua empresa ou em qualquer outro lugar.

É tudo muito pessoal. Agora, sabe o que realmente existe em comum com todas as histórias de sucesso? A vontade de vencer e a capacidade de olhar o que acontece sob diferentes perspectivas.

Você pode criar suas oportunidades e moldar a sorte à sua vontade. Basta acreditar nisso e se esforçar muito!

Por isso, seja você uma empreendedora ou empreendedor, ou mesmo alguém que recebeu este texto em um momento difícil, se as circunstâncias não te parecem favoráveis, acalme-se e acredite: sempre há uma forma de fazer com que as coisas aconteçam. Pode não ser agora, mas você conseguirá alcançar os seus objetivos. E veja: tudo acontece como deve acontecer, se você se esforça, esse trabalho trará frutos mais cedo ou mais tarde – e mesmo que não seja como você espera, o seu sucesso já está garantido, basta lutar por ele e não desistir, jamais!

Última lição de empreendedorismo: O TRABALHO DURO SEMPRE VENCERÁ O TALENTO!

Gostou das minhas lições de empreendedorismo? Fico muito feliz de poder compartilhar minha história! Um espetacular Dia Mundial do Empreendedorismo Feminino para você!

Nós do Grupo DPG somos uma agência de publicidade especializados em marketing digital para você, estamos no coração da Lapa – SP, venha tomar um café conosco.

Siga-nos no Facebook: @GrupoDPG.Digital

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *